Zunzum Gastrobar (Lisboa)

Ceviche de Espadarte Rosa, Maracujá e Pimenta da Terra (Espadarte, Maracujá, Batata Doce, Pimenta da Terra, Pipocas e Coentros). Um prato delicioso, fresco e muito bonito. Os puristas dos ceviches vão dizer que tem pouca acidez e pouco picante, mas fiquei com a ideia que o objectivo foi apresentar um prato mais consensual, mais urbano, no fundo como a cozinha que a Marlene Vieira se propõe a fazer neste Gastrobar.
Sapateira e Abacate (Abacate fresco, Sapateira e Ovas de Truta). Outro prato delicioso, com uma combinação de sabores óptima, também muito fresco e bonito. Pena que a bolacha da base era muito dura e tornava-se difícil de comer, um reparo que não chegou para ofuscar o conjunto. Não sobrou nada!
Filhós de Berbigão à Bulhão Pato (Filhós, Berbigão, Coentros e Limão). Mais um prato bonito e cheio de sabor, com os berbigões carnudos a combinarem lindamente com o paladar típico do Bulhão Pato. Um primor de técnica. Delicioso o pormenor da filhós de forma.
Mini Sandwich de Rosbife (Bolo Lêvedo, Rosbife, Maionese de Beterraba, Cebola frita e Rúcula). Um final em beleza, daqueles de lambuzar os dedos. Não é fácil comer só uma, talvez por isso venham aos pares.

O Zunzum Gastrobar é o mais recente projecto da cozinheira Marlene Vieira.

Está localizado em Santa Apolónia, no novo edifício do Terminal de Cruzeiros de Lisboa e abriu as portas ao público no Verão do ano passado. A sua abertura esteve incialmente prevista para Março de 2020, mas devido à pandemia teve de ser adiada por uns meses. Abrir um novo restaurante já deve ser um desafio suficiente, quanto mais fazê-lo durante uma pandemia. Ainda para mais, falamos de um projecto que não passa exclusivamente pela abertura de um restaurante, mas sim de dois, este Zunzum Gastrobar, num registo mais descontraído, e o Marlene, o restaurante de alta cozinha que é a grande aposta de Marlene Vieira (que deverá ser inaugurado nas próximas semanas), onde assume a pretensão de conquistar a sua primeira estrela Michelin.

Como adepto da cozinha de Marlene Vieira, que acompanho há alguns anos, foi com a expectativa natural destas ocasiões que coloquei uma visita ao Zunzum no radar, algo que só aconteceu recentemente.

O Zunzum é um restaurante actual, bonito, luminoso, inserido num edifício de linhas direitas, também ele moderno, onde o vidro é o elemento principal. O espaço, que é dominado pelo branco e pelo vermelho, divide-se em três zonas, a esplanada com vista para o rio, que tem sido muito procurada nestes dias covidianos, a sala principal, ampla, toda em vidro, apenas com uma parede a esconder a cozinha e, em jeito de loja de souvenirs, uma zona com produtos seleccionados, onde Marlene Vieira fez questão de trazer um pouco do melhor que Portugal tem para oferecer, dos vinhos aos azeites, passando também pelas conservas e outras iguarias.

A oferta gastronómica segue em linha com o ambiente descontraído, com pratos desenhados a partir de produtos portugueses, alguns revelando sabores mais tradicionais, outros procurando paladares de outras latitudes, mas muitos a apresentar uma matriz de alta cozinha, não só nas técnicas como nos empratamentos. A filhós de berbigão é um bom exemplo de tudo isto, um prato de sabores tradicionais servido numa apresentação moderna e divertida. A carta não é longa mas tem bastante diversidade, que poderá ir de um leve e fresco ceviche a um prato de mais substância como a feijoada de carabineiro. A vontade de provar tudo é grande. Nas bebidas, existe uma interessante selecção de vinhos, com algum ênfase na ala natural, onde surgem alguns rótulos importantes dentro desta tendência. Os preços são para turista. A cerveja à pressão e uma boa carta de cocktails completam a oferta líquida.

Está de parabéns a Marlene Vieira, pela coragem de assumir um tão grande desafio em tempos tão incertos, mas também muito pela cozinha criativa e cheia de sabor que idealizou para este Zunzum. Para quem ainda não conheça o seu trabalho e queira começar por um lado mais acessível, tem disponível o Marlene Vieira Food Corner do Mercado da Ribeira, que é um óptimo cartão de visita ao universo gastronómico desta cozinheira. Fica a expectativa de conhecer o que está a preparar para a abertura do Marlene, um nome a seguir nos próximos tempos.

Zunzum Gastrobar. Av. Infante D. Henrique, Doca do Jardim do Tabaco, Terminal de Cruzeiros de Lisboa. Tel: 915 507 870. [email protected] . Fecha ao domingo ao jantar e à segunda. Preço médio sem vinho, 30€.

Tags from the story
,
Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado.