Coleção de Portos Antigos da Real Companhia Velha

imagem de divulgação

A Real Companhia Velha celebra este ano 265 anos de existência. É uma história que se funde com a história do Vinho do Porto, que já atravessa quatro séculos e que transporta até aos dias de hoje o valioso legado histórico da mais antiga região demarcada do mundo.

Para celebrar a efeméride, a Real Companhia Velha acabou de lançar uma colecção de três Vinhos do Porto muito antigos, de categoria Very Old Tawny, envelhecidos nas suas centenárias caves em Vila Nova de Gaia. Pedro Silva Reis, director da Real Companhia Velha, a quem coube apresentar estes maravilhosos vinhos, fez questão de destacar a responsabilidade que um mestre provador tem para assegurar a consistência do estilo de cada marca de Vinho do Porto. Como master blender da Real Companhia Velha, a sua experiência de prova começou exatamente há 43 anos, como aprendiz do mestre provador da época, que durante dez anos lhe transmitiu os seus conhecimentos e a sua longa experiência. Referiu também que a Real Companhia Velha sempre foi muito abundante em vinhos velhos e isso faz com que seja possível lançar e dar a conhecer estes vinhos muito antigos (há cinco anos atrás a RCV já tinha lançado um Very Old Tawny de 1867).

Passando aos vinhos, é curioso notar que o 1900 esteve em stock nas Caves de Gaia, enquanto que os restantes na Quinta das Carvalhas. Há quem prefira o estilo dos vinhos estagiados em Gaia, que apresentam uma evolução mais harmoniosa e quem prefira o estilo dos vinhos estagiados no Douro, mais quentes e concentrados, com um sabor muito próprio, designado pelos enólogos como “queimado do Douro”. De facto é perceptível nestes vinhos essa diferença de estilos.

Real Companhia Velha Porto Very Old Twany 1900

Considerado como um ano de produção generosa ainda que com qualidade, com o vinho a apresentar menos cor e concentração que num ano clássico. Uma cor muito bonita de Tawny velho, com um belo aroma, muito delicado com notas resinosas, de caramelo e móveis velhos. Grande equilibrio na boca, num estilo muito fino e elegante, acidez perfeita, com uma frescura incrível, muito delicado, harmonioso e profundo, com uma complexidade que proporciona um final muito longo e persistente. Na altura a colheita de 1900 foi classificada como de um ano menor, mas sempre referida com vinhos muito bons e de facto, passadas todas estas décadas, somos brindados com um vinho desta magnitude. Outstanding, como diria um velho amigo.

Real Companhia Velha Porto Very Old Twany 1908

Um ano com a reputação de ter produzido vinhos de qualidade, apesar de não ser um ano clássico. Mais concentrado e complexo que o 1900. Rico, aveludado, com a força de um grande vinho velho. Muito bem na boca, profundo, estruturado, com um leve vinagrinho, com a doçura muito bem balanceada por uma bela acidez. Um tawny velho de grande classe.

Real Companhia Velha Porto Very Old Twany 1927

Um grande clássico, de um ano considerado como um dos melhores do século. Mais concentrado na cor. Rico e complexo no aroma, de verniz e madeiras velhas. Muito texturado na boca, denso, com umas incríveis notas de vinagrinho, a conferir um estilo distinto e de grande classe. Termina com muita frescura e uma persistência quase interminável. O meu favorito dos três. Incrível.  

Esta colecção é lançada numa elegante caixa de madeira, com três garrafas de 200 ml cada, acompanhada por um livro de apresentação e um certificado de qualidade. Nesta primeira série foram lançadas 500 unidades a um preço de 2500€ cada. Um tesouro para coleccionadores. Afinal não são todos os dias que se celebram 265 anos.

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado.