Cabeça de Xara

Há quem lhe chame paté, mas eu prefiro chamar-lhe de terrina. A Cabeça de Xara é uma iguaria alentejana feita com a cabeça do porco, onde se usam também as cartilagens e é muito apreciada, principalmente no norte alentejano. Nos anos 2000, sensivelmente, com a proliferação das lojas gourmet e com a apetência dos consumidores pela descoberta de produtos artesanais e genuínos, a cabeça de xara foi saltando aos poucos as fronteiras alentejanas para deixar de ser um produto eminentemente regional. Para isso também contribuiram os cozinheiros, especialmente aqueles que oficiam nas grandes urbes, que com o seu protagonsimo deram outra visibilidade a este tipo de produtos menos mediáticos. Um bom exemplo, foi o recente encontro que tive com uma divinal salada de cabeça de xara no Páteo Real, em Alter do Chão, com melancia, tomate e pickle de cebola, temperada com uma vinagrete de poejo, um verdadeiro hino ao Alentejo e aos seus produtos mais independentes.

A salada de cabeça de xara de Filipe Ramalho, no Páteo Real em Alter do Chão.

Ultimamente tenho encontrado uma excelente cabeça de xara na Sabores da Terra, em Telheiras, uma recente “mercearia fina” que veio enriquecer ainda mais aquele bairro lisboeta. A oferta desta loja é uma tentação, com alguns dos melhores produtos que o nosso país tem para oferecer (vinhos incluídos). É lá que tenho comprado a cabeça de xara da Dona Octávia, feita de modo tradicional e muito bem temperada, de sabor e textura perfeitas. Para quem é apreciador, tem aqui uma boa sugestão, para quem ainda não conhece, nada como dar uma oportunidade a esta belíssima terrine alentejana.

Para os mais afoitos, partilho a receita, do excelente e infelizmente parado blog Outras Comidas.

Tags from the story
,
Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado.