António Madeira Branco 2019 e Tinto 2018

Há já algum tempo que não estava com os vinhos do António Madeira. Estes colheita são vinhos que nunca conheci muito bem, pois chegaram ao mercado numa fase posterior, numa altura que não acompanhei o projecto tão de perto. E não o fiz por qualquer motivo em especial, simplesmente porque há muitos vinhos e não há tempo para seguir todos. Com o iníco desta aventura serrana, António Madeira, lançou primeiro um tinto de vinhas velhas e foi esse vinho que lhe deu nome e que meteu o país enófilo a falar de um novo projecto que surgia no sopé da Serra da Estrela. Até hoje esses vinhos continuam a ser dos meus favoritos, quem não se lembra do 2011 e do excelente 2012. Num fase seguinte surgiram alguns vinhos especiais de parcela, A Centenária e o Vinha da Serra, logo seguidos do primeiro branco (salvo erro de 2013) e só então os referidos colheita. Não me lembro se já os tinha bebido anteriormente, penso que não, mas de uma forma ou de outra, só agora lhes dei a devida atenção.

O Branco revelou boa expressão de fruta, aromático qb, com notas de fruta branca madura e um delicado toque mineral, tudo perfeitamente integrado na barrica, que mal se dá por ela. Com corpo, voltamos a ter a fruta madura a dar dimensão de boca, num registo bem equilibrado por uma acidez fina e sugestões minerais. Já o tinto mostra-se muito concentrado na cor, ainda um pouco fechado, com a fruta madura e um leve toque de barrica a marcarem presença. Bom volume de boca, com taninos finos mas presentes, a denotar alguma juventude e maturação, mas com uma excelente acidez e muito bem proporcionado. Voltei a este vinho 48 horas depois (guardado na porta do frigorífico com a rolha original) e gostei muito mais, o que pode denunciar que vamos ter uma boa evolução em garrafa. Todo ele muito mais arrumado, tudo a fazer mais sentido, num tinto com presença, mas muito fresco e prazeroso. Em resumo, são dois bons vinhos, dentro do estilo mais genuíno do produtor, mas como sempre acontece nos vinhos do António Madeira, voltei a preferir o tinto ao branco.

António Madeira Branco 2019
Região: Dão – Sub-Região da Serra da Estrela
Castas: Encruzado, Bical, Malvasia Fina, Cerceal e mistura de várias castas de vinhas velhas.
Álcool: 13,50 % Vol
Vinificação: Estágio de 10 meses, 50% em barricas de carvalho e 50% em inox. Engarrafamento em Julho de 2020, sem colagem nem filtração.
Preço: 13,50€

António Madeira Tinto 2018
Região: Dão – Sub-Região da Serra da Estrela
Castas: Vinhas de várias idades, com diversas castas autóctones misturadas, com predominância para o Alfrocheiro, Tinta Pinheira, Touriga Nacional, Baga e Jaen.
Álcool: 14 % Vol
Vinificação: Fermentação com leveduras indígenas em dornas. Maloláctica em inox e barricas usadas, seguindo-se estágio de 18 meses.
Preço: 12€.

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado.