Hummer & Oyster Bar (Zurique)

Bouillabaise Marselhesa. Com vieira, tamboril, mexilhão e o delicioso molho com açafrão. Um clássico da gastronomia francesa…
…acompanhada com croutons e o famoso rouille da Provença.
Pappardelle com cogumelos girolle e trufa de verão. A simplicidade de um prato elevado por produtos de grande qualidade.
Carpaccio de Robalo com Salada de Funcho. Temperado com azeite de basílico, vinagre envelhecido de modena, tomate confitado e flores comestíveis.
Vieiras com Espargos, Favinhas, Ervilhas e Molho Provençal.
Lavagante com espargos selvagens em molho maltese.
Filete de Vaca com Foie Gras e Molho Perigourdine. Aqui a interpretação do famoso Tournedó Rossini, um prato criado por Escoffier no Savoy de Londres para o compositor Gioachino Rossini.
Vitela com gnochi de tomilho e molho de limão confitado.
Petit gateaux com gelado de chocolate branco, espuma de menta, caramelo salgado e por fim… peta zetas!!
Macarron de Mascarpone, Granizado de Café e Gelado de Café Branco.

Alberto Mozzo e Filipe Alloin. Chefe de pastelaria e Chefe executivo do Hotel St-Gothard.

A minha última passagem por Zurique ficou marcada por esta refeição no restaurante onde o Filipe Alloin – grande chef e grande benfiquista, logo grande chefe de família – prossegue neste momento o seu trabalho de cozinheiro.

É uma cozinha de base francesa, com grandes influências mediterrânicas e ibéricas (não tivesse o Filipe várias costelas algarvias), onde a qualidade do produto assume uma importância vital. Noto que há uma evolução criativa constante no seu trabalho, bebendo sempre influências dos locais por onde tem passado, sem nunca perder a sua identidade.

Foi uma refeição magnífica, mas qualquer consideração que eu possa fazer ao trabalho do Filipe não é imparcial. Para além de um grande amigo, adoro a sua cozinha, por isso não vale a pena aprofundar muito o assunto.

Após despacharem os tachos, o Filipe e o Alberto, juntaram-se à mesa, onde tivemos uma interessantíssima conversa pela noite dentro. Falou-se de muita coisa, entre as quais a passagem como chefe de partida do peixe na Fortaleza do Guincho, onde conheceu o José Avillez (Tavares) e o João Antunes (Vin Rouge), ambos em início de carreira. Todos sob o comando de Antoine Westermann e Marc Le Ouedec, dois dos chefes que mais o influenciaram até ao momento. O outro foi o seu pai, René Alloin, um chef respeitadíssimo em Marselha. A conversa seguiu pela sua passagem pela Escócia, no Amaryllis de Gordon Ramsay e pelo Laserre de Jean Louis Nomicos, até terminar numa emocionante confissão: “dos sete países europeus onde já trabalhei, nunca encontrei, das ervas ao peixe, produtos de tão boa qualidade como em Portugal”. Às vezes tem de ser alguém de fora a lembrar-nos da nossa riqueza gastronómica. Abraço Filipe!

Hummerbar
Bahnhofstrasse 87, 8001 Zurich
Tel: 044 227 76 21
Email: [email protected]

Tags from the story
Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado.